Conselho de CT&I de Campinas

A importância da participação das organizações do terceiro setor no Conselho de Ciência, Tecnologia & Inovação

Campinas acabou de instalar, em 2014, seu Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). A sociedade civil organizada se faz presente neste Conselho, através do conselheiro André Luís Bordignon, e de sua suplente Helena Whyte, reprensentantes da ONG CDI Campinas que faz parte do Revoada.

Na proposta de lei original para a criação do conselho não existia um assento para as organizações do terceiro setor. De posse dessa informação o Fórum de Cultura Digital de Campinas solicitou uma audiência pública sobre o formato do conselho.

Durante o debate o Fórum de Cultura Digital apresentou uma emenda ao projeto de lei solicitando 3 assentos para as organizações do terceiro setor além de sugerir que o presidente do conselho fosse eleito pelo próprio conselho, ítens que não constavam na proposta de lei original. Com tais propostas teríamos o  aumento do poder do conselho e evitaríamos a instrumentalização do mesmo por parte da prefeitura.
Consideramos nossa luta vitoriosa, apesar de não termos conquistado a eleição do presidente, conquistamos uma vaga para o terceiro setor no Conselho.
No processo de indicação, para a ocupação da vaga, como o Fórum não era constituído juridicamente, o CDI Campinas foi a organização escolhida para fazer a representação.
Já foram realizadas 4 reuniões ordinárias e um seminário para desenvolvimento de um plano estratégico de CT&I para Campinas.

Durante essas reuniões já ficou muito claro que as organizações do terceiro setor não são consideradas quando se fala em ciência, tecnologia e inovação. A frase comum sobre os atores responsáveis por pensar e atuar em CT&I é a tríplice hélice: Governo, Empresas e Universidades. Através dessa fala se constata a importância da participação, ainda maior, das organizações do terceiro setor nesse conselho.
CT&I tem que ser pensada para atender as necessidades da sociedade como um todo, focando no bem da população e na coletividade.

Como pensar CT&I sem conhecer quais são as necessidades da população? Sem as organizações do terceiro setor essa tríplice hélice só alçará vôos para atender necessidades acadêmicas e empresariais. Precisamos fortalecer a participação das entidades do terceiro setor no conselho de CT&I pois essas entidades estão espalhadas pela cidade e tem uma visão ampla que pode contribuir valorosamente para completar a tríplice hélice.

O Revoada tem como meta abrir espaços presencias e virtuais para socializar e discutir as ações e discussões Conselho com a sociedade.

Saiba mais sobre o Conselho de CT&I.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

-->